O Apóstolo Tadeu em Edessa

Um apóstolo é enviado ao Rei Abgar de Edessa, conforme Jesus lhe prometera

Para estas epístolas não foi adicionado o seguinte relato na língua siríaca. Após a ascensão de Jesus, Judas, que também foi chamado de Tomás, lhe enviou Tadeu, um apóstolo, um dos Setenta. Quando ele chegou, alojou-se com Tobias, filho de Tobias. Quando a notícia de sua chegada circulou, foi dito a Abgar que um apóstolo de Jesus acabara de chegar, como ele o havia escrito.
Tadeu iniciou então, no poder de Deus, a curar todas as doenças e enfermidades de tal forma que todos se admiravam. E quando Abgar ouviu falar das coisas grandes e maravilhosas que ele fez e das curas que ele realizou, começou a suspeitar de que era ele de quem Jesus lhe havia escrito, dizendo: Depois de eu ter sido levado enviarei a você um dos meus discípulos, que te curará.
Portanto, convocando Tobias, com quem Tadeu se hospedou, disse ele, eu ouvi dizer que certo homem de poder veio e é hóspede em tua casa. Traga-o a mim. E Tobias chegando a Tadeu disse-lhe: O governante Abgar me chamou e me disse para levá-lo a ele para que você possa curá-lo. E Tadeu disse, eu vou, pois tenho sido enviado a ele com poder.
Por essa razão Tobias se levantou cedo no dia seguinte, e acompanhando Tadeu chegou a Abgar. E quando ele chegou, os nobres estavam presentes e ficaram ao redor de Abgar. E imediatamente após a sua entrada uma grande visão apareceu a Abgar no rosto do apóstolo Tadeu. Quando Abgar a viu prostrou-se diante de Tadeu, enquanto todos os que estavam ao redor ficaram surpresos, porque eles não viram a visão, a qual se tornou visível exclusivamente para Abgar.
Ele então perguntou Tadeu se ele era, na verdade, um discípulo de Jesus, o Filho de Deus, que lhe disse: Eu vos enviarei um dos meus discípulos, que deve curá-lo e dar-lhe vida. E Tadeu disse: Porque você poderosamente acreditou naquele que me enviou, por isso fui enviado a você. E ainda mais, se você acredita nele, as petições de teu coração lhe serão concedidas tal como você acreditar.
Abgar e disse-lhe: Tanto que eu acreditava nele que queria ter um exército e destruir os judeus que o crucificaram, se não tivesse sido impedido em razão do domínio dos romanos. E Tadeu disse: Nosso Senhor cumpriu a vontade do Pai e, ao cumprir, foi levado para seu pai. E Abgar disse a ele, eu também acreditava nele e em seu pai.
E Tadeu lhe disse: Portanto, eu coloco a minha mão sobre ti em seu nome. E quando ele fez isso, imediatamente Abgar foi curado da doença e do sofrimento que tinha.
E Abgar ficou maravilhado, pois, tal como havia ouvido falar a respeito de Jesus, recebera ele então, deveras, através de seu discípulo Tadeu, que curou sem medicamentos e ervas, e não só ele, mas também Abdus filho de Abdus, que sofria com a gota; pois também veio até ele e caiu a seus pés, e tendo recebido uma bênção pela imposição de suas mãos, foi curado. O mesmo Tadeu curou também muitos outros habitantes da cidade, e fez maravilhas e obras maravilhosas, e pregou a palavra de Deus.
E depois Abgar disse: Tu, ó Tadeu, fazes essas coisas com o poder de Deus, e nos maravilhamos. Mas, além destas coisas, peço que me informe a respeito da vinda de Jesus, como ele nasceu, e no que diz respeito ao seu poder, com que poder ele executou as obras das quais ouvi.
E Tadeu disse: Agora, na verdade eu me calarei, já que fui enviado para proclamar a palavra ao público. Mas amanhã reúna para mim todos os seus cidadãos, e eu vou pregar em sua presença e semear entre eles a palavra de Deus, a respeito da vinda de Jesus, como ele nasceu, e acerca da sua missão, para que finalidade ele foi enviado pelo Pai, e sobre o poder das suas obras, e os mistérios que ele proclamou no mundo, e por qual poder que ele fez essas coisas, e acerca da sua nova pregação, e a sua humilhação e humilhação, e de como ele se humilhou e morreu e rebaixado sua divindade e foi crucificado e desceu ao Hades, e romperam as grades que desde a eternidade não havia sido quebrado, e ressuscitou os mortos, pois ele desceu sozinho, mas levantou-se com muitos, e assim subiu para seu pai.
Portanto Abgar convocou os cidadãos a se reunirem no início da manhã para ouvir a pregação de Tadeu, e depois ordenou que fosse dado a ele ouro e prata. Mas ele se recusou a levá-lo, dizendo: Se nós deixamos o que era nosso, como vamos ter o que é de outro? Essas coisas foram feitas no ano trezentos e quarenta. (aprox. 28-29 d.C)

Narrativa sobre o Príncipe de EdessaEusébio de Cesaréia – História Eclesiástica – Livro I, capítulo 13

Licença Creative Commons Licenciado sob Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.

Anúncios

Comentários e perguntas - acrescente sua cidade e estado

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s