A Palestina e os Hebreus

Localização e Condições Geográficas

A Palestina era um pequeno território situado entre o mar Mediterrâneo, a Fenícia, a Síria e os desertos árabes, o Oriente Médio. O rio Jordão cruza esse território de norte a sul e desemboca no mar Morto (“crescente fértil”).

As condições geoclimáticas dificultavam muito a atividade agrícola. Porém, nas margens do rio Jordão existiam água, vegetação e terras férteis e aráveis, ocasionando constantes invasões do território palestino. Sua posição estratégica, local de passagem obrigatória entre a África e a Ásia, também atraía as invasões.

Os cananeus, povo de origem semita, fundaram cidades e tentaram impedir a entrada de outros grupos nômades na Palestina antiga, também chamada de Canaã.

Por volta do II milênio a.C., iniciaram suas incursões na Palestina outras tribos nômades e semitas, os hebreus. Na mesma época, vindos do mar, os filisteus promoveram a conquista do litoral e entraram pelo interior, defrontando-se com os hebreus.
Os hebreus, originários da Arábia, deslocando-se freqüentemente em busca de terras férteis e melhores pastagens, tornaram-se o grande povo da Palestina Antiga, tanto por sua organização econômica agropastoril, quanto por sua estrutura tribal e patriarcal.
Quando os hebreus ocuparam a Palestina, ainda eram nômades e estavam organizados em clãs, doze tribos.  Emigraram para o Egito no período do Médio Império, por causa de grande fome, onde foram aceitos pelos hicsos, povos de origem semita que haviam dominado o “país dos faraós”.  A história de José, como governador do Egito (Gênesis 47.11).  

Após esse período de ocupação, por volta do novo Império no Egito, os hicsos foram expulsos, seguindo-se também uma grande perseguição aos hebreus que, guiados pelo grande líder Moisés, retornaram à Palestina (Êxodo).
Organizados em doze tribos, conquistaram a região, combatendo principalmente a presença dos filisteus. Depois disso, as tribos hebraicas uniram-se, formando um Estado único, tendo como capital a cidade de Jerusalém, e como primeiro rei, Saul.

Vários reis se sucederam, atingindo o apogeu à época de Salomão. Com sua morte, ocorreu o “Cisma”  dos hebreus. Dez tribos reuniram-se ao norte da Palestina, formando o reino de Israel (Samaria) e duas tribos ao sul fundaram o reino de Judá (Jerusalém). Com isso, os hebreus, que sempre foram militarmente fracos, foram dominados e escravizados muitas vezes. O enfraquecimento hebraico permitiu a invasão e a destruição de Israel pelo rei assírio Sargão II. Judá não resistiu aos babilônios que, conduzidos pelo rei Nabucodonosor, dominaram e levaram os hebreus para o “cativeiro da Babilônia”. A libertação dos hebreus só ocorreu quando Ciro, rei persa (539 a.C.), invadiu e dominou a Babilônia, permitindo aos hebreus cativos o retorno à “terra prometida”.

Cisma

Divisão das tribos judaicas em dois reinos: Israel e Judá (933 a.C.). Embora tivessem readquirido a liberdade e a Palestina, os hebreus continuaram sofrendo invasões até, finalmente, caírem sob o domínio romano (por volta de 63 a.C.).

Posteriormente, devido às revoltas dos hebreus, os romanos destruíram suas cidades, o que espalhou o povo hebreu pelo mundo antigo (“diáspora hebraica”). A única forma que o povo de Judá teve para manter sua união foi a religião, conservando crenças e cultura.

Diáspora. Dispersão dos judeus pelo mundo, no decorrer dos séculos a partir do ano 70 d.C. (dominação romana).

Religião e Cultura

A religião hebraica era a única marcadamente monoteísta da Antiguidade Oriental. O monoteísmo dos hebreus ou judeus (Judá) foi resultante de uma longa evolução da religião original das várias tribos hebraicas de influências orientais. O judaísmo, religião surgida a partir do líder hebreu Moisés, caracteriza-se, além do monoteísmo, pela crença na imortalidade da alma, no juízo final, e na vinda do Messias (“enviado do Senhor”). Jeová, como é chamado seu Deus, é onipresente e todo-poderoso e como tal não pode ser representado em pinturas ou esculturas. O decálogo ou “10 mandamentos” são os princípios básicos do judaísmo que, de acordo com o “Antigo Testamento”, foram ditados por Jeová a Moisés (monte Sinai). O principal documento desta civilização, escrito em hebraico e aramaico, é o chamado “Antigo Testamento”. Os livros do “Antigo Testamento” (Pentateuco, Profetas e Hagiógrafos) formam a “Bíblia dos Judeus”. O “Antigo” e o “Novo testamento” constituíram a base da “Bíblia Cristã”, que teve em comum com o judaísmo a região e seus princípios religiosos.“

Hagiografia:  Biografia dos santos.
A maior contribuição dos hebreus está no plano cultural, são os princípios religiosos literários bíblicos, a escrita hebraica.

Anúncios

Comentários e perguntas - acrescente sua cidade e estado

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s